Pastor diz que desistiu de queimar exemplares do Alcorão nos EUA

Polêmica manifestação estava marcada para 11 de setembro na Flórida. Jones diz ter feito acordo para deter construção de mesquita no Marco Zero.

O pastor Terry Jones dá entrevista nesta quarta-feira (9) em frente a sua igreja em Gainesville, no estado americano da Flórida. (Foto: AP)

O pastor evangélico norte-americano Terry Jones anunciou nesta quinta-feira (9) que desistiu do ato público em que cerca de 200 exemplares do Alcorão, livro sagrado do Islã, seriam queimados no próximo sábado na pequena cidade de Gainesville, na Flórida.

Diante de sua igreja, o reverendo afirmou que sua decisão se segue a um acordo negociado com líderes islâmicos americanos, que inclui que não sejam mais construídos uma mesquita e de um centro cultural islâmico previstos para o Marco Zero de Nova York, local dos ataques terroristas de 11 de Setembro.

Os responsáveis pela obra, no entanto, disseram que não há acordo nenhum para a mudança do lugar da construção.

Jones -que não respondeu a perguntas dos jornalistas- disse que vai a Nova York no sábado para conversar sobre o tema com o imã da cidade.

A construção tem opositores, que a consideram ofensivas às famílias da vítima dos atentados realizados em 2001 pela rede terrorista da al-Qaeda.

Pressão internacional e interna

O recuo de Jones ocorre após grande pressão internacional contra o ato que, segundo ele, tinha o objetivo de protestar contra o radicalismo islâmico e sua crescente influência na agenda política americana.

O anúncio da queima dos livros gerou protestos do governo americano, de governos estrangeiros e de várias entidades.

O governo dos EUA chegou a emitir nesta quinta-feira um alerta sobre risco de atentados terroristas em represália ao protesto.

O secretário de Defesa, Robert Gates, disse que o ato iria colocar em risco as tropas americanas e aliadas que lutam contra terroristas em países como Afeganistão, Paquistão e Iraque. A Interpol também advertiu sobre possíveis ataques.

Mais cedo, o próprio presidente dos EUA, Barack Obama, havia apelado para que Jones desistisse do protesto. Para o democrata, ele serviria de estímulo para que terroristas recrutassem militantes.

Paquistaneses queimam bandeira americana em protesto contra os planos de pastor de queimar exemplares do Alcorão. (Foto: Khalid Tanveer/AP)


Fontes: G1 - Agências

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails